segunda-feira, 6 de abril de 2009

Argumentos confusos

A musica pulsava por todo o seu corpo, e se olhasse ao redor a veria pulsar nos corpos a sua volta, mais nem isso ela não escutava mais.
As imagens das pessoas a sua volta, a música alta em seus ouvidos, o vento batendo no rosto, nada mais disso ela sentia. Estava em um abismo, sem começo e sem fim. Como companheiro, apenas o aperto no peito, a saudade de coisas que nunca teve.
Odiava isso. Aquele sentimento que tinha prometido nunca mais deixar entrar, havia tomado espaço novamente, dessa vez em maiores proporções. Sentia-se sósinha em meio a multidão, e enquanto tentava pensar em alguém que comprovaria que estava errada, que tinha alguém ao seu lado, via os milhares de rostos conhecidos passarem pela sua cabeça, e derrepente nenhum deles era mais familiar.
Sabia que era uma coisa que teria que enfrentar, hoje ou amanhã. Assim que decidiu que seria quem era, sabia das consequências, aceitou-as, assinou o contrato. Hoje, já não tem mais volta.
Estava segura dentro de si mesma, mais sabia que não teria ninguém pra levanta-la quando caísse. Hoje, tudo o que queria era conversar.
Imaginou uma cena, as frases, o quarto, a caixa de pizza aberta em cima da cama,... Ouviu as palavras, viu a cena. Mais dela não sentiu nada. O aperto não afrouxou.
Queria correr, correr pelo gramado que não existia, sentar-se embaixo da árvore que nunca havia visto, lendo o livro que nunca havia encontrado, com a companhia certa, da qual nunca havia compartilhado, a solidão.
Lembrou da prova que tinha, da decepção que vivia, das vontades que continha... Guardou tudo de volta, e voltou pro corpo. Lembrou da redação de português " Argumentos confusos..." Ela tinha razão, tinha que arrumar os pensamentos, mais é uma coisa difícil de se fazer quando se esta em meio a confusão, e o único que sabe organiza-la, não existe.

29 comentários:

darsh. disse...

argumentos confusos :(

Fayci =] disse...

texto lindo.
porem triste...
bjs yaas

NiNah disse...

Cara, eu amo textos tristes. É uma doença. rss
Lindo!
Bjo

gii manucelli disse...

'Como companheiro, apenas o aperto no peito, a saudade de coisas que nunca teve.'
Esse aperto no peito... :O

beijos ;*

Coisinhas da Jeh _ disse...

é bom ter amigos assim né :D

ain, tristeza não!
beeijos yaas :*

Priz disse...

já me vi nessa situação, várias e várias vezes... enfim..
ótimo texto, adorei!
:D
Beijos
ps: odeio redações de português haha

Bruna disse...

texto lindo ^^
nossa, já tive esse aperto no peito um dia , raras pessoas não o tiveram

Vou seguir seu blog oks =)

=**

Emi disse...

Obrigada.
trabalhos demais, pior é que eu entrego um, o professor já passa outro tema para a proxima aula.
que bom que vc gostou do meu blog.
beijos

Argumentos confusos, colocar em ordem os pensamentos. =)

Caroline Rodrigues disse...

ahh e tão lindo e ao msmo tempo tão triste esse texto! =/
___________________________

Eu acabei indo no show com uma camisa da banda q minha amiga me deu! =]
+ se eu tivesse ido de rosa ñ haveria nenhum problema, pois tinha mtas meninas assim! rsrsrsrsrsrsrs

eh foi mtu bom! xD

bjuss
=]

♥Anny♥ disse...

argumentos confusos de um coração mais confuso ainda.
Infelizmente, em geral,as punicas pessoas que podem consertam a nossa são as que menos estão interessadas em tais!


texto liiindo flor!@
bjaõ

Isa disse...

voltei!

fazia falta ler seus posts, menina, eles sempre se parecem um pouco com o que eu sinto, isso faz um bem danado.

não existir?

querida, no mundo tudo existe, sempre existiu, só esperando para ser encontrado

Isa disse...

'... tinha que arrumar os pensamentos, mais é uma coisa difícil de se fazer quando se esta em meio a confusão.'

Eu que o diga, eu que o diga...

Rodrigo Octávio disse...

triste, mas adorei :)
tô te seguindo \o/
me segue tbm? *-*
:*

Aquela tal de brito disse...

realmentee profundo
acho que estou desse mesmo jeito ;/

beeeijos;*

Rodrigo Octávio disse...

kaopskapos xD obrigado pela visita xD
bjs e abraços :D
:***

Jillian disse...

Como adoro esses textos melancólicos :C "e o único que sabe organiza-la, não existe. " Poxa, senti como se ela fosse uma semi-morta ou uma simples alma. :~ Ficou lindo.
Beijoks :*

Menin@ disse...

Como sempre! LINDO!!!
Cara, eu amo seus posts. Esses textos assim.. nossa... muito lindo!
Adoro! (hihi)
Bjiz
P.S. Acho que foi o mais real.. Biográfico?

Lara disse...

Que triste sentimento. Acho que já me senti assim. Dá próxima ela estará mais forte.
beiijo

Caá disse...

totalmente argumentos confusos, senti um aperto tao forte lendo :S
enfim, as vezes senti alguma identificação com alguma parte, ou umas boaas partes :B
boa pascoa querida
beijaoo

matheus disse...

gosto dos teus textos!

Sempre tão bem descritos :)

"Sofi@" disse...

Texto lindíssimo!
Mas que se passa contigo, menina simpática? Como tu disses o pior
é admitir que se está no fundo do poço! E tu já admitiste, agora escala as paredes, ou virifica se à escadas, desecalhar não as estás a ver!
Boa sorte fofa!

றιkąeℓℓy Rocha disse...

Volteiii...

Passa lá no meu Blog assim que puder...

Bejiim*

Mìíka

B. disse...

Quando você escrever um livro e se tornar super famosa eu vou falar: conheço ela dos tempos de blog! HAHA lindo :)

julia cesino disse...

ooo garota, quanto tempo! :D

Tiffany disse...

eu sei EXATAMENTE o que vocês quis dizer.

Brunadovinil disse...

Você conseguiu escrever toda a minha confusão. A confusão que eu decidi deixar para trás ontem.

Apesar de recente, foi um momento de boa nostalgia ver todo o sentimento de confusão de ontem lida hoje.

:)

Aquela tal de brito disse...

eu nao sei viver sem a minha confusão ;0

amore obg pelo seu coment *-*

beeeijos;*

Ana Paula disse...

tmb tenho vontade de correr pelo gramado, sentar debaixo de uma arvore e ler um livro...=)

B. disse...

Quando eu crescer quero escrever assim tão fodamente como você, sério!