terça-feira, 27 de abril de 2010

All she has


"Ela queria que ele arrombasse o cofre onde ela guardava todos os seus segredos, e os lessem um por um, até conhecer o seu mais profundo interior, aquele que nem ela mesma conhecia."

Era o presente mais frágil e importante no meio da prateleira de tranqueiras. Era assim que ela o via todos os dias, em todos os seus pensamentos. Algo pelo qual ela havia esperado, implorado, procurado por tanto tempo, e que havia encontrado um pouco depois de desistir. Essa era a causa de tantos cuidados, tantos desvios, tantos pensamentos. Era o medo de fazer qualquer movimento brusco, dizer qualquer palavra mal pensada, e fazer tudo desabar.
Mais eis que ele estava ali. Mais fundo do que qualquer um havia estado. Mais compenetrado do que ela poderia ter arriscado. E agora ela via o quanto aquilo podia lhe fazer tremer.

"Desejava que ele fosse o único em quem ela iria pensar na hora de desabafar, pra quem ela não iria fazer questão de sorrir o tempo todo, e com quem ela poderia contar na hora de chorar."

As coisas eram diferentes ali no meio. Não sorria todos os dias, e as vezes, quase sempre, sentia o aperto no peito de ter exposto mais do que deveria. Mais nenhum dos seus temores se fez concreto. Ele aceitava, ouvia e as vezes até mesmo sorria diante de tamanhas complicações em frente a tão pequenos obstáculos. Ele sabia dos seus maiores segredos, que ali em meio a eles, pareciam apenas acontecimentos bobos sussurrados aos risos. Se sentia criança ao lado dele, contando tudo o que lhe vinha a mente, sem medir palavras ou se quer pensar duas vezes.

"Ela precisava disso. Precisava de alguém para compartilhar toda aquela bagunça que era a sua cabeça, os seus pensamentos, o seu coração. Ela precisava dele."

Ele era isso. Mentira, blasfêmia. Ele era muito mais do que isso. Ia muito mais longe que alguém que simplesmente sabia de todos os pensamentos confusos que haviam dentro daquela mente, mais do que um corpo pra se abraçar quando se precisasse, do que ouvidos para ouvir o que eu precisava contar, ou boca pra perguntar o que eu precisava responder. Conhecia muito mais do que sua cabeça, pensamento e coração. Era o seu maior presente, uma das pessoas mais importantes no mundo, e conhecia a sua alma.

12 comentários:

Vicky D. disse...

Lindo demais!
è tãaao bom ter alguém para contar as coisas, né? Alguém para 'contar' de verdade.

bjão =^.^=

αnny disse...

Onde tem mais desse?
Eu qero um pra mim!
texto liiiindo, como sempre né flor?
Ou melhor, cada dia fica mais boniito!
;)

Vicky D. disse...

Ah, deixei selinhos pra vc lá no blog ^-^

bjão =^.^=

http://aluanaminhajanela.blogspot.com

*kw.*fy disse...

Liiiindo *-*
super,liinds
éer...seguindo ><'
pode seguir ai tbm,estamos começando agora rs :T
beijão amor.

Camis disse...

Lindo.
Amei. Costuma mesmo ser assim, quando a gente desiste de procurar a gente acha.
Todo mundo de via poder contar com alguém, pra tudo mesmo.
Divido meus dramas com várias pessoas (ninguém sabe de tudo) e rezo pra que elas não se juntem e montem o quebra-cabeça.


Beijo

vivian disse...

selinho!
:*

Trashy Fame disse...

oiie *-* to seguindo seu blog, amei tudo *o* se der passa la no meu tbm
www.thetrashyfame.blogspot.com

Loize Carol disse...

"Era o seu maior presente, uma das pessoas mais importantes no mundo, e conhecia a sua alma."
Isso me fez lembrar meu irmão, lembrar o T-U-D-O que ele é em minha vida!

Beijos moça :*

m frank. disse...

SAUDADES, YAAS!

Tai disse...

Sinto falat de teus textos... atualiza vai!
xD

Eden disse...

Excelente. Muito bem escrito!
Adorei! ^^

www.mundoblogalizado.blogspot.com

be disse...

夢世界,